Diego Antonelli

Diego Antonelli é graduado em Jornalismo, pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, PR, em 2007.

Antes mesmo de ingressar no curso de Jornalismo, teve uma rápida experiência como repórter aos 17 anos no jornal Correio Regional, em Palmas (PR). Durante a graduação, participou de projetos jornalísticos alternativos, como a newsletter O Ponteiro e o jornal cultural Grimpa, ambos circulavam em Ponta Grossa (PR).

No último mês da faculdade foi contratado pelo jornal Diário da Manhã (também de Ponta Grossa), entre dezembro de 2007 e junho de 2008. Lá atuou como repórter de Cidades. Depois de quase seis meses, foi contratado pelo Jornal da Manhã, sediado na mesma cidade, onde atuou por quase três anos.

No Jornal da Manhã, Antonelli trabalhou nas editorias de Cotidiano, Polícia, Esportes, Economia e Cultura. Também foi editor de cadernos sobre educação e saúde, além de ser responsável pela produção de cadernos especiais.

Em agosto de 2011, ingressou como freelance na sucursal da Gazeta do Povo em Ponta Grossa. Em março de 2012, Antonelli passou a trabalhar em Curitiba, no Paraná, como repórter da editoria Vida e Cidadania da Gazeta do Povo.

Em maio de 2009, publicou seu primeiro livro-reportagem Em Domínio Russo, que conta a saga dos imigrantes russos até se estabelecerem no Paraná.

O lançamento do livro-reportagem fez parte do show de calouros da VI Semana de Integração da Resistência. O autor foi agraciado com a edição de um livro bancado pelo governo, que considerou a obra, referência para o estado por tratar da diversidade sócio cultural do território Paranaense. 

A obra descreve o que Diego viu em visitas à Santa Cruz, Witmarsum e Mariental, colônias de religião ortodoxa formadas por grupos étnicos da colonização russa e alemã; e conta com humor a primeira experiência do autor com braska (bebida alcoólica russa, preparada a partir da fermentação de frutas como pera e framboesa).

Recebeu em 2012 o prêmio Sangue Bom de Jornalismo – 7ª edição, concedido pelo Sindicato do Jornalistas Profissionais do Estado do Paraná, na categoria Reportagem impressa, com a série Retratos Paraná. A série foi desenvolvida pela equipe, que além de Diego Antonelli reuniu Anderson Gonçalves, Bruna Maestri, Diego Ribeiro, Cintia Junges, Fabiula Wurmeister, Marcus Ayres, Mauri König.

Em 2014, Antonelli foi finalista do Prêmio Esso de Jornalismo – Regional Sul com a reportagem Império das Cinzas, produzida em parceria com Mauri König e Albari Rosa. No mesmo ano, obteve a 2ª colocação no Prêmio Sangue Bom do Jornalismo Paranaense, com a série Memórias torturadas, que abordou os impactos do regime militar no Paraná.

Em 2015 com a mesma série de reportagens Império das Cinzas, da Gazeta do Povo, foi vencedor da sexta edição do Global Shining Light Award, prêmio internacional criado para consagrar o jornalismo investigativo produzido em países em desenvolvimento. O material foi publicado em março de 2014. A série ainda contou com o apoio do Instituto Prensa y Sociedad, do Peru, e com a colaboração dos jornalistas Martha Soto, do jornal El Tiempo, da Colômbia; e Ronny Rojas, do jornal La Nación, da Costa Rica.

Em  2016, Diego, segue trabalhando  em Curitiba, no Paraná, como repórter da editoria Vida e Cidadania do jornal Gazeta do Povo.

 

 

Atualizado em Abril/2016 – Portal dos Jornalistas

Fontes:

http://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/serie-imperio-das-cinzas-da-gazeta-ganha-premio-internacional-7dvryfijyu7l40jqb7d1v7mzy

http://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/gazeta-leva-cinco-premios-sangue-bom-eh6an9i2m8wvseoi0urnb05la

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1506469

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1519420&tit=Gazeta-leva-cinco-premios-Sangue-Bom

http://criticadeponta.com/category/uncategorized/livro-aberto/page/10/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *