Clayton Netz

Clayton Netz nasceu em Giruá (RS), em 16 de julho de 1947. Estudou Economia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs/RS) e na Universidade do Chile, e Administração Pública na Fundação Getúlio Vargas (FGV/SP), sem concluir nenhum dos cursos.
 
Iniciou a carreira, em 1967, no semanário Tribuna Criciumense, em Criciúma (SC). Em 1969, foi contratado como repórter de Economia do jornal Zero Hora, do grupo RBS, em Porto Alegre (RS), ali permanecendo até dezembro de 1970.
 
Trabalhou também como correspondente das revistas técnicas do grupo Abril em Porto Alegre, no mesmo período. Entre janeiro e março de 1971, ainda na capital gaúcha, trabalhou no extinto jornal Folha da Manhã e na rádio Guaíba. No final de 1971, perseguido pela ditadura militar brasileira, asilou-se em Santiago (Chile), colaborando com a agência Prensa Latina e com publicações locais.
 
No final de 1973, com a derrubada do governo do presidente Salvador Allende (1908-1973), foi preso e expulso do Chile. Em julho de 1974, regressou ao Brasil, passando a viver em São Paulo (SP). Até janeiro de 1979, trabalhou como vendedor de previdência privada para a Associação dos Profissionais Universitários do Brasil (Aplub).
 
Naquele ano, com a anistia, retomou suas atividades profissionais, como editor-assistente da revista Exame, da Editora Abril, na qual ficou até março de 2004, época em que ocupava o cargo de diretor de Redação. No período, ganhou uma série de prêmios: o do Instituto Brasileiro de Mineração e Metalurgia, em 1985; o do Instituto Liberal, em 1989; o Fiesp de Jornalismo 1990, e dois Fiat Allis de Jornalismo Econômico, em 1994 e em 1997. Também trabalhou na imprensa alternativa, como editor sindical do jornal Em Tempo. Foi responsável pela coluna Piquetão, assinada com o pseudônimo de Tom Duarte.
 
Em junho de 2005, associou-se a Nely Caixeta e Ricardo Galuppo na criação da Totum Excelência Editorial, que teve como clientes o Unibanco, o SBT, a Runner, a AmBev, a Editora Campus, a Fundação Dom Cabral, a Editora Globo e jornal O Estado de S.Paulo. Para o Estadão, a agência planejou e coordenou a série Novo Mapa do Brasil, que retratou em cadernos especiais a economia e os negócios das cinco regiões do País. Este trabalho foi o vencedor do Prêmio CNF de Jornalismo 2006, na categoria Jornal. Além disso, um dos cadernos, sobre a região Nordeste, foi ganhou o Prêmio BNB de Jornalismo 2006, patrocinado pelo Banco do Nordeste. Pela Totum, participou também do lançamento, em agosto de 2007, da revista bimestral Presença Internacional do Brasil (PIB), de distribuição dirigida. Foi diretor editorial da publicação.
 
Em dezembro de 2008, deixou a Totum e, com João Paulo Nucci, fundou a Barravento Editorial, interessado em se dedicar prioritariamente à produção de conteúdo, particularmente para publicações corporativas, customizadas e outras. Produziram a sexta edição do Guia de Franquias da Pequenas Empresas, Grandes Negócios para a Editora Globo, além de trabalhos para a Phillips do Brasil e para as revistas Exame e Você S/A, da Editora Abril. Paralelamente, em abril de 2009, passou a colaborar com o site Análise e Opinião, idealizado e desenvolvido por Thales Guaracy, com a proposta de aprofundar as notícias de conjuntura, empresas e investimentos, como uma revista de economia na internet.
 
Voltou a colaborar com o Grupo Estado em fevereiro de 2010, escrevendo para o site Economia & Negócios, alojado no portal Estadão.com, e para o caderno semanal de Negócios do jornal O Estado de S.Paulo. Para isso, encerrou as atividades da Barravento Editorial. Começou a assinar a coluna Fato Relevante, em que tratava de Finanças Pessoais.
 
Saiu do Estadão em dezembro de 2010, para atuar como redator-chefe da IstoÉ Dinheiro. Assinou a coluna Moeda Forte, com notas exclusivas de Negócios, até março de 2013, passando, então a ter sua própria coluna, com seu nome, na revista. Para tanto, conta com a colaboração de Carla Jimenez, Hugo Cilo, Luciele Velluto, Luiz Gustavo Pacete e Ralphe Manzoni Júnior.
 
 
Atualizado em março de 2013
Fontes:
Arquivo Jornalistas&Cia
Livro Jornalistas Brasileiros – Quem é Quem no Jornalismo de Economia (Mega Brasil/Call Comunicações, 2005)
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *