André Dusek

André Dusek nasceu no Rio de Janeiro em 1956 e mora em Brasília desde 1975. Formou-se em Comunicação / Jornalismo na Universidade de Brasília, UnB/DF, em 1979.

Começou a fotografar profissionalmente em 1978. Trabalhou nas Revistas Manchete e Fatos&Fotos de 1978 a 1980. Fotografou para o jornal Correio Braziliense de 1980 a 82. Foi membro da agência AGIL Fotojornalismo de 1982 a 89.

Presidiu a União dos Fotógrafos de Brasília nas gestão 1983/84 além de ocupar o cargo de diretor membro da Comissão de Ética do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal.

De 1994 a 2006 foi subdiretor de fotografia da revista IstoÉ na sucursal de Brasília.

Trabalhou na Agência Estado e jornal O Estado de São Paulo de 1988 a 94. Em 2006 voltou a integrar a equipe de fotógrafos do Jornal Estado de São Paulo / Agência Estado em Brasília, onde permanece.  

Sobre seu projeto Foto Coleguinhas, no qual ele apresenta uma coleção de fotos de colegas de profissão e amigos, registradas ao longo de sua carreira, Dusek disse: “Através da fotografia mostramos a verdade…”.

A dedicação começou em 1978 paralelamente ao seu trabalho, André Dusek, quando começou a fotografar seus colegas repórteres e registrar suas histórias no site ‘Foto Coleguinhas de André Dusek – Cenas de Jornalismo explícito, fatos e fotos do dia-a-dia dos repórteres.

Logo na introdução se apresenta “Já existe hoje uma geração de jornalistas que nunca usou máquinas de escrever. Eu sou do tempo do telex e da telefoto UPI e olha que eu não sou tão velho assim. Hoje em dia é só computador para transmitir textos e fotos, tudo muito rápido. O tempo é curto e infelizmente, curta também é a nossa memória”. E arremata: “Coleguinhas” é como nós jornalistas nos autodenominamos e este site tem a intenção de mostrar de uma forma divertida pequenos pedaços de uma história recente do jornalismo brasiliense e de outros lugares”.

As histórias são divertidas, algumas trazem comentários mostrando o “cômico” da situação, outros denunciam e registram passagens importantes das coberturas. Estão lá com crônicas saborosas e históricas, por exemplo, a foto de Che Chevara, clicada pelo fotógrafo cubano Alberto Korda, que virou símbolo de uma geração. Além de ótimas fotos de repórteres fotográficos em pleno combate identificados e com legenda.

Entre as várias exposições coletivas que participou estão: Em 1984: a Tradição e Ruptura, Fundação Bienal, São Paulo e a 3ª. Mostra de Fotografia Contemporânea Latino Americana, Havana, Cuba. Em 1993 Contrastes e Confrontos na Funarte, Rio de Janeiro. Em 1995 participou da Bienal Fotojornalismo Brasileiro, na Fundação Bienal, São Paulo e 1997 suas fotos de trabalho fizeram parte da Isto É Fotojornalismo, Espaço Cultural Citibank, São Paulo. Entre várias outras que participou.

 

 

Atualizado em maio/2014 – Portal dos Jornalistas

Fontes:

http://www.fotocoleguinhas.com/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *