Alessandra Silvério

Alessandra Silvério, jornalista curitibana, graduada em Jornalismo pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP/PR), em 2001, e pós-graduada em Comunicação Audiovisual, com ênfase em Cinema, pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR), em 2002.
 
A primeira experiência em Telejornalismo foi em 1998, como estagiária na redação da TV Band, nos programas Band Cidade e Grito da Cidade. No mesmo ano, no Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Paraná (IBQP/PR) prestou serviços de assessoria juntamente com o ex-chefe e atual presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Sérgio Pires.
 
De 1999 a 2000 trabalhou na pauta e produção do telejornal local RIC Notícias, da RIC TV, emissora afiliada da Rede Record em Curitiba.
 
Ainda como estudante, elaborou, produziu e desenvolveu um projeto de TV aliado à Internet, no qual buscou não somente ampliar a interatividade do público-alvo com os dois meios de Comunicação, mas principalmente fazer de ambos um instrumento eficaz na transmissão de conhecimento e veiculação de utilidade pública. No começo, trabalhou como Assessora de Imprensa de projetos culturais, educacionais, na Assessoria de Imprensa da Secretaria de Comunicação do Governo do Estado do Paraná e em produção de emissoras de rádio. Para canais de TV abertos, à cabo e Internet, fez diversos vídeos institucionais (house organs eletrônicos), reportagens especiais e teledocumentários.
 
Ao longo desses 15 anos de carreira, até 2013, passou por várias emissoras de TV. Além das tevês Bandeirantes e Record, em 2002 foi apresentadora do programa Missão Rally Paris Dakar 2002, e entre 2005 e 2006 apresentou o Mais Brasil, programa do Ministério do Turismo, exibido em rede nacional pela CNT (Central Nacional de Televisão). Foi roteirista do projeto de longa-metragem Vidas Conectadas, inspirado em fatos reais.
 
Escreveu vários artigos que foram publicados e reproduzidos em diversos sites, blogs e portais relacionados aos temas Jornalismo e Cinema. Na RPC TV, afiliada da Rede Globo, foi uma das 25 selecionadas, entre cerca de 300 candidatos, para fazer treinamento para reportagem e apresentação, em meados de 2005.
 
No decorrer dos anos, abordou diversos temas e de grande relevância social em seus projetos jornalísticos, como por exemplo a importância da doação de órgãos, medula e sangue, no ato de salvar vidas e a luta e prevenção contra o câncer em diversas faixas etárias. Defendeu o combate à violência contra a mulher, seja ela violência doméstica ou não, tendo a vítima vínculo afetivo com o agressor ou não.
 
O artigo que mais lhe marcou a carreira e o mais conhecido, intitulado Jornalismo: Uma questão de ética, redigido para a cadeira de Ética em Jornalismo, foi publicado e reproduzido em vários sites, blogs e portais da Internet. Publicado inicialmente no extinto Estudantenet do portal Yahoo e no site Mnemocine da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), o artigo foi plagiado em dezembro de 2003 pelo jornal de uma igreja que tem sede em Boston (EUA), e filiais espalhadas em mais de 20 países, inclusive, no Brasil.
 
O caso ganhou projeção nacional e internacional, sendo notícia, inclusive, no jornal Brazilian Times, em território americano. No meio acadêmico e na Internet, os artigos Jornalismo: uma questão de ética e Filme: realidade ou ficção? foram citados como temas das provas de redação dos vestibulares da USP, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ/RJ) e da Universidade Estadual de Londrina (UEL/PR).
 
Em 2005, o professor de Jornalismo Internacional da USP, escritor, e ex-assessor do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, Bernardo Kucinski, publicou entre outros ensaios, o referido texto sobre ética no livro Jornalismo na Era Virtual – Ensaios sobre o colapso da razão ética. E foi justamente o referido artigo, publicado em 1999 pela jornalista na Internet, que acabou em setembro de 2012 dando nome ao site JQE, batizado com as siglas do título.
 
Desde então Alessandra está na direção do site.
 
 
Atualizado em janeiro de 2013
Fontes:
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *