Infoglobo unifica unidades de Globo e Extra e demite dezenas

Em comunicado interno, a Infoglobo justificou as demissões ocorridas nessa quinta-feira (19/1): apesar do esforço já feito para “modernizar e preparar O Globo e Extra para esse novo mercado, que vive contínua e acelerada transformação, nossos resultados denotam que ainda não alcançamos o formato ideal”, e “é fundamental elevar nossa eficiência”.

O número não confirmado é de 46 profissionais demitidos, o que deve prosseguir com o enxugamento previsto para o Valor, e talvez chegue a 50 pessoas (seria a cota de 10% de uma redação conjunta de 500?). Ao portal Comunique-se, o diretor de Redação Ascânio Seleme mencionou 32 jornalistas a menos, mas há dispensas em outras áreas.

Era um corte anunciado desde que a empresa definiu para janeiro a mudança para a nova sede, e contratou, no primeiro semestre do ano passado, consultoria para traçar o perfil de uma redação integrada para todos os títulos (conforme J&Cia 945, de 2014, e 1.075, de 2016).

O croquis da fachada, na esquina das ruas Santana e Marquês de Pombal, pode ser conferido aqui. Na redação atual, que deve ainda funcionar na rua Irineu Marinho até o fim de janeiro, foram dois meses de muita tensão e especulações. Para equacionar o funcionamento das equipes com o forte movimento de reestruturação, foi proposto um novo modelo, descrito em comunicado interno, assinado pelos diretores de Redação Ascânio Seleme, do Globo, e Octavio Guedes, do Extra, conforme detalhado mais à frente.

Os cortes – O profissional mais conhecido entre os que saem é Arnaldo Bloch. Como no caso de outros colunistas que se desligaram anteriormente (Cora Rónai e Flávia Oliveira, entre outros), ele manterá uma coluna, porém sem vínculo com O Globo. Dizem as más línguas que, em meados ano passado, entrou em choque com a linha editorial do jornal por um texto que publicou.

Outros profissionais que entraram na lista desta semana: no Globo, Eduardo Fradkin, editor assistente do Segundo Caderno, e a repórter Nathalia Castro, de Cultura; Ruben Berta, da Rio; Natanael Damasceno, do Jornal de Bairros, no Zona Sul, com 16 anos de casa; Rafael Javoski, da Revista O Globo; Leonardo Pimentel, editor da home do online; do Esporte, Marcelo Alves, que mantinha também o blog Planeta que rola; e Jacqueline Falcão, da sucursal de São Paulo.

Andréa Freitas e Juliana Garçon, repórteres da Economia, saíram a pedido, e consta que também Maria Cristina Valente, do suplemento RioShow, e Paula e Maroca, da diagramação – seriam demissões incentivadas?

Do Extra, foram Clarissa Monteagudo, Samantha Vicentini e Ana Paula Blower. Também Fabiana Paiva, apoio da coluna Extra, Extra, e Michel Castellar, do Esporte.

O Sindicato dos Jornalistas do Município emitiu nota de repúdio às demissões e denunciou a “acelerada precarização do trabalho daqueles que permanecem empregados”. Afirma que solicitou uma reunião no mesmo dia (19/1), porém agendada para esta segunda-feira (23/1). E ressalta que, nos últimos dois anos, 150 jornalistas foram demitidos da Infoglobo sem justa causa. Na redação integrada

As chefias – Na nova sede, o aquário passa a se chamar Mesa Central de Produção de Conteúdo, e ali estarão os editores executivos. Alan Gripp deixa a editoria País e passa a editor de Integração, chefiando a Mesa Central e respondendo diretamente aos diretores de Globo e Extra. Paulo Motta (até então editor executivo do Globo), Denise Ribeiro (idem do Extra) e Fernanda Delmas são os novos editores de Produção, “distribuídos ao longo do dia para cumprir a jornada de 24 horas do ciclo digital”, conforme o comunicado define a função.

Convém notar que Fernanda foi editora de Economia do Globo, dali saiu há pouco mais de um ano, convidada para ser diretora de Comunicação da Coca-Cola, cargo que deixou há dois meses, e volta agora ao jornal. O novo cargo de Chico Amaral é de editor Visual. E Alexandre Maron, diretor de Inovação da Editora Globo, mudou-se de São Paulo para o Rio, e será editor de Produtos Digitais. Esses editores de Produção, Visual e Produtos Digitais responderão a Alan Gripp. Vivianne Cohen (que era editora executiva do Extra) será editora executiva de Conteúdo Digital, reportando-se à Mesa Central. Sob Vivianne estarão as mesas (nome das novas chefias) de Rede, Radar, Audiência e Homes.

Pela Rede, respondem Sérgio Maggi e Beatriz Mota Ferreira; pela Radar, Fábio Gusmão e William Helal; pelas Homes de Globo e Extra, Luiz Eduardo Diniz. Não foi divulgado o nome do responsável por Audiência.

Silvia Fonseca e Marlon Brum (até aqui, respectivamente, editores executivos de Globo e Extra) serão editores executivos de Impresso de Globo e Extra, respondendo aos diretores de cada marca. Com Silvia, na mesa Globo Impresso, estarão os coordenadores Rodrigo França Taves e Rolland Gianotti (que era editor de Rio). Com Marlon, na mesa Extra Impresso, os coordenadores Milton Calmon (era editor do Globo Bairros) e Rodrigo Gomes (era editor do Expresso) e um grupo de fechadores.

As macroeditorias – As novas macroeditorias vão agrupar algumas das conhecidas editorias de Globo e Extra, mas nem todas. As que continuam como antes: em País, o substituto de Alan Gripp (novo editor de Integração) ainda não foi anunciado; na Rio, Gabriela Goulart substitui Rolland (agora na mesa de Globo Impresso) como editora; na Economia, continua Flávia Barbosa, em Esportes, permanece Márvio dos Anjos.

As que mudam são: Hiperlocal, editoria nova, para temas considerados “agudos” – como segurança pública, cidadania e comunidades –, engloba também os Jornais de Bairros (de onde saiu Calmon para a mesa Extra Impresso), com editor ainda não anunciado. Em Mundo e Sociedade, continua Sandra Cohen, já editora de Mundo e que assume também Sociedade, antes a cargo de William Helal (que foi para a mesa Radar). Cultura e Estilo, a cargo de Fátima Sá (que era editora do Segundo Caderno), inclui, além desse caderno, o Sessão Extra e outros suplementos dos dois jornais.

Foram integradas as editorias de Foto, Vídeo e Arte de Globo e Extra, sob o comando de Chico Amaral. Na Fotografia, responde José Roberto Serra; na Vídeo, Paulo Moreira; na Arte, Rubens Paiva. Luiz Henrique Romanholli permanece na Gerência de Produtos. Jason Vogel continua na estrutura de suplementos de classificados e responde a Romanholli. Com a ida de Rodrigo Gomes para a mesa de Impresso do Extra, João Paulo Arruda é novo editor do Expresso.