Hélio Gomes passa a diretor de Inovação do Grupo Mix

Hélio Gomes aceitou convite de Fernando Di Genio, presidente do Grupo Mix de Comunicação, e assumiu no final de 2016 o posto de diretor de Inovação da holding. Seu primeiro trabalho é a gestão dos domínios digitais dos veículos do grupo – Mix FM, Mix TV e Mega TV. “Além disso, também estou atuando junto às equipes da rádio e dos canais de televisão no desenvolvimento de novos formatos e projetos crossmedia”, disse a J&Cia. “Ou seja, desde dezembro, estou tendo a oportunidade de seguir o caminho que escolhi em uma casa que abraça as possibilidades que as novas tecnologias apresentam a todos nós, criadores e disseminadores de conteúdo jornalístico, cultural e de entretenimento”. Ex-diretor de Conteúdo Brasil do Terra e até outubro do ano passado CEO do portal Virgula, Hélio vinha atuando em parceria com o Grupo de Mix desde julho de 2016, em especial com a Mix TV, quando realizou o Virgula.Mix, programa multiplataforma pioneiro no Brasil, exibido ao vivo e simultaneamente na tevê por assinatura, nas redes sociais e na web. “Na verdade, percebi que o processo criativo que levou ao programa abriu um novo caminho em minha carreira. E decidi que era o momento de abandonar o dia a dia como diretor geral do Virgula para buscar o próximo capítulo, trabalhando com a convergência de mídias e a produção de conteúdo multiplataforma”. Convidado pelos acionistas do site, assumiu um assento no conselho diretivo do Vírgula, o que o liberou para o novo projeto. Ele contou ainda que, para fechar a conta, encerrou 2016 consumando um namoro que se arrastava havia algum tempo: “A convite de André Jalonetsky, publisher do iG e meu ex-chefe nos tempos de Editora Globo, passei a ser colunista do portal na primeira semana de janeiro. No novo espaço, batizado de Do Bem, estou recuperando o exercício diário de escrever – algo que fez muita falta a mim nos últimos anos. A ideia básica é inserir histórias positivas no cardápio do iG, com exemplos virtuosos, casos de superação e sacadas inovadoras”. “Dessa forma, consegui abrir 2017 adaptando-me à nova realidade do mercado e buscando minha satisfação pessoal. Acredito firmemente que nosso ofício está longe da extinção. Mas entendo que é preciso buscar caminhos alternativos ao velho emprego, coisa cada vez mais rara nos grupos de comunicação tradicionais. A transformação está em curso de forma avassaladora. E cabe a cada um de nós encontrar seu papel nessa revolução, nem que seja com três trabalhos simultâneos e complementares”.