Entidades protestam contra condenação de Celso Nascimento, da Gazeta do Povo

Em nota conjunta, a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), a Associação Nacional de Editores de Revistas (Aner) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) consideram um grave equívoco a decisão do juiz Plínio Augusto Penteado de Carvalho, da 13ª Vara Criminal de Curitiba, que condenou a nove meses e dez dias de prisão o jornalista Celso Nascimento, colunista da Gazeta do Povo. Como ele tem mais de 70 anos, a sentença foi substituída pelo pagamento de multa de dez salários mínimos, além da suspensão dos direitos políticos do jornalista.

Celso foi condenado por denunciar o atraso de parecer do relator do processo no Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Ivan Bonilha, sobre o edital para construção do metrô em Curitiba. Na reportagem, apontou como razão para o atraso um possível vínculo do conselheiro com o governador Beto Richa. Na nota, as entidades consideram a atual decisão judicial “um ataque à liberdade de expressão e ao livre exercício do jornalismo e esperam que a Justiça reforme a sentença”. (*Com informações do Portal da ANJ)