Ranking 2016 chega a 150 prêmios analisados

Com aprovação unânime do Conselho Consultivo, 14 novas premiações, todas ativas, passaram a fazer parte do banco de dados do Ranking dos +Premiados da Imprensa em 2016. Assim, o número de iniciativas analisadas chega a 150, sendo que 81 delas realizaram edição neste ano e premiaram jornalistas brasileiros. Somadas as premiações bienais, como Abraciclo e Fenacon, ou internacionais que não registraram brasileiros entre os vencedores neste ano, como o Wash Media Awards, o International Press Freedom e o Latinoamericano de Jornalismo Investigativo, são mais de 90 iniciativas em atividade, demonstrando assim a força da iniciativa no Brasil e mesmo internacionalmente. Dentre os incluídos nesta edição, destaque para o internacional Eset-LA em Segurança da Informação, que rendeu 65 pontos ao vencedor do Grande Prêmio e 45 aos das categorias regulares; e ao MPT, hoje um dos maiores do Brasil em valores, que tem três escalas de pontuação: 55 pontos para o Grande Prêmio, 25 para as categorias nacionais e 15 para as regionais. Além deles, passaram a fazer parte os nacionais Abvcap, Longevidade e Gilberto Velho, que renderam 25 pontos aos seus ganhadores; os regionais dos Ministérios Públicos do Rio Grande do Norte e de Rondônia; os paranaenses Fiep, Fecomércio-PR e Ocepar-PR; o gaúcho Asdep; o mineiro Chico Lins; o carioca Secovi-Rio; e o cearense Gandhi. Para as premiações regionais, a escala é de 15 pontos, sendo que os prêmios MP/RO, Sistema Fiep e Fecomércio-PR, por terem um Grande Prêmio, renderam 35 pontos aos vencedores dessa categoria. Confira a relação completa dos prêmios analisados.   Esso e AMB são as principais baixas de 2016 Apesar do surgimento de novas premiações jornalísticas relevantes, o ano também registrou algumas baixas significativas. A principal, sem dúvida, foi a suspensão do Prêmio Esso, mais tradicional iniciativa brasileira, que completou 60 anos em 2016. Estima-se que, nesse período, mais de 33 mil matérias tenham sido avaliadas pelas comissões de julgamento, premiando mais de mil trabalhos gráficos, reportagens e fotografias. O retorno do concurso é incerto, ainda mais pela mudança na marca patrocinadora, que passou para Exxon Mobil, e da presença da empresa no Brasil, onde seus negócios têm passado por profundas transformações. Outra iniciativa descontinuada e que surpreendeu pelo modo como aconteceu foi o AMB de Jornalismo. Em sua 11ª edição, a premiação chegou a abrir inscrições, mas em novembro, quando deveriam ser anunciados os finalistas, uma divergência de agenda entre o fim da gestão da diretoria da entidade e a posse da nova acabou suspendendo o concurso por tempo indeterminado. Também tiveram suas atividades interrompidas em 2016 os prêmios Abrelpe, Embrapa, Sebrae, Onip, Cbic, Alexandre Adler/Sindhrio, Amrigs, Crosp e Tim Lopes (Disque Denúncia-RJ).