As preciosidades do IMB

 

Capa Zequinha de Abreu

Uma das músicas mais conhecidas de Zequinha de Abreu é Tico-Tico no Fubá, cujo título original era Tico-Tico no Farelo, e foi apresentada pela primeira vez em público num baile na sua cidade natal, Passa Quatro, no interior de São Paulo, em 1917. Tico-tico, porém, só seria gravada em disco em 1929. Em 1952 essa música, um chorinho, virou título de um filme que teve como principal ator o também paulista, de Salto, Anselmo Duarte (1920-2009). O álbum que mostro na foto é raríssimo e faz parte do acervo do Instituto Memória Brasil. Nele também estão dezenas de discos estrangeiros com essa música.

Zequinha de Abreu, um dos nomes mais importantes da música brasileira, nasceu em 1880 e morreu em 1935. Sua carreira foi de glória e tristeza. Glória porque boa parte do mundo sabe de quem se trata e triste porque, nós, brasileiros, dele e da sua música pouco sabemos. Interessou-se por música muito cedo, embora passasse por sua cabeça ser médico. Tocou vários instrumentos antes de adotar o piano como extensão da sua alma.

JCia está divulgando as preciosidades do acervo do Instituto Memória Brasil, o maior no gênero da cultura popular em mãos de particular no País, porque Assis Ângelo, um dos maiores estudiosos do tema, com vários livros publicados sobre o tema, decidiu pô-lo à venda. Cego desde 2013 por causa de descolamento das retinas, não tem mais condições físicas e financeiras de manter o material, que começou a reunir há mais de 40 anos. São cerca de 150 mil itens, entre discos de todos os formatos, fotos, partituras, folhetos de cordel, livros, fitas cassete e MDs.

Contatos pelos institutomemoriabrasil@gmail.com, www.institutomemoriabrasil.org.br, http://assisangelo.blogspot.com, 11-3661-4561 e 11-985-490-333.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *