As preciosidades do IMB

Genival Lacerda

Genival Lacerda, paraibano de Campina Grande, iniciou a carreira profissional em 1956, gravando Coco de 56, dele e de João Vicente, pelo extinto Mocambo, selo da Rozenblit. Ele gravou meia dúzia de discos em 78 rpm, entre os quais Eu vou pra lua (Luiz de França), que mostro na foto. Depois disso, Genival consolidou a carreira com mais de 50 LPs e CDs. O acervo do Instituto Memória Brasil tem quase tudo da reverencial obra que ele gravou.

Lacerda, que nasceu em 5 de abril de 1931, recebeu em 19 de dezembro passado a medalha Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura. Ele nunca se apresentou fora do Brasil, pois não teve interesse. Leia mais sobre ele no Blog do Assis Ângelo.

JCia está divulgando as preciosidades do acervo do Instituto Memória Brasil, o maior no gênero da cultura popular em mãos de particular no País, porque Assis Ângelo, um dos maiores estudiosos do tema, com vários livros publicados sobre o tema, decidiu pô-lo à venda. Cego desde 2013 por causa de descolamento das retinas, não tem mais condições físicas e financeiras de manter o material, que começou a reunir há mais de 40 anos. São cerca de 150 mil itens, entre discos de todos os formatos, fotos, partituras, folhetos de cordel, livros, fitas cassete e MDs.

Contatos pelos institutomemoriabrasil@gmail.com, www.institutomemoriabrasil.org.br, http://assisangelo.blogspot.com, 11-3661-4561 e 11-985-490-333.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *